Tranfiguração

•Agosto 6, 2008 • Deixe um Comentário

Enquanto orava, o aspecto do seu rosto modificou-se, e as suas vestes tornaram-se de uma brancura fulgurante. E dois homens conversavam com Ele: Moisés e Elias, os quais, aparecendo rodeados de glória, falavam da sua morte, que ia acontecer em Jerusalém.

Pedro e os companheiros estavam a cair de sono; mas, despertando, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com Ele. Quando eles iam separar-se de Jesus, Pedro disse-lhe: “Mestre, é bom estarmos aqui. Façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias.” Não sabia o que estava a dizer. Enquanto dizia isto, surgiu uma nuvem que os cobriu e, quando entraram na nuvem, ficaram atemorizados. E da nuvem veio uma voz que disse: “Este é o meu Filho predilecto. Escutai-o”

Quando a voz se fez ouvir, Jesus ficou só. Os discípulos guardaram silêncio e, naqueles dias, nada contaram a ninguém do que tinham visto. (Lucas 9, 29-36)

Anúncios

PARTI

•Julho 28, 2008 • Deixe um Comentário

Senhor Jesus, peço desculpa pelos medos, indecisões e desculpas que vou dando ao longo da minha juventude. PERDOA.

Dentro do meu coração sei que existe um espaço com alguns problemas e males. ACEITA.

Creio, aprendi-o de ti, que um coração deve embalar-se com e pelos outros, senão jamais será um milagre na terra. REALIZA.

Quando tenho-te bem dentro de mim sei que me transfiguras cada vez mais para te amar cada vez mais. TRANSFIGURA.

Sigo às vezes um caminho sem refúgio, em que desapareces da minha barca, porém tenho a certeza: a tua luz é mais brilhante que qualquer sombra. ILUMINA.

Reconciliação com Deus

•Julho 16, 2008 • Deixe um Comentário

“As estrelas eram como uma grossa poeirada de luz que o bom Deus levantava lá em cima, passeando sozinho pelas estradas do Céu. O silêncio tinha uma solenidade de sacrário. Nos escuros terraços, em baixo, uma forma branca movendo-se por vezes, de leve, mostrava que outras criaturas estavam ali, como nós, deixando a alma embeber-se mudamente no esplendor sideral: e nesta difusa religiosidade, igual à de uma multidão passando para os lumes do altar-mor, eu sentia subir aos lábios, irresistivelmente, a doçura de um ave-maria…”

Eça de Queirós, in A Relíquia

Uma luz pequenina

•Julho 8, 2008 • Deixe um Comentário

Jesus, tu iluminas-nos nos abismos da incerteza, da solidão e da angústia.

Jesus, mesmo que nos achássemos sós, incertos e com angústias, tu estarias como uma presença terna e confiante, o círio que não se esgota ou o coração que incessantemente arde.

O desafio é deixarmo-nos guiar por uma luz pequenina que ilumina o nosso ser. Então, saberemos lidar com contrariedades e lutar por uma vida plena de sentido.

 

Olá!!!

•Julho 4, 2008 • Deixe um Comentário

Bem-vindo ao meu pequeno espaço!

Espero que venhas sempre aqui para comentar e conversar comigo.